Jogadores PT

“Não abandono”

As exibições de Jardel e Fejsa em Frankfurt colocaram o brasileiro e o sérvio na mira da crítica. Bruno Lage descarta riscar dois jogadores que já deram muito ao Benfica. E, não dúvida, continuarão a dar no futuro.

«Jogadores com pouco ritmo é a sua opinião. Se assim fosse nunca teria colocado há três meses e meio o [João] Félix, que não tinha ritmo nenhum. O que é importante retirar disto: estamos só a falar do nosso capitão, Jardel, e do Fejsa, que é o nosso melhor médio centro. Quando se lesionou, no jogo com o V. Guimarães, parecia que não havia equipa sem Fejsa. A mesma coisa com o Jardel. Ao mesmo tempo, os dois miúdos, o Tino [Florentino] e o Ferro, que estavam na equipa B comigo, passam a ser os melhores. Tem de haver um equilíbrio na gestão», argumentou o treinador dos encarnados, em conferência de imprensa.

«Jardel tem 250 jogos pelo Benfica. Ainda ontem vimos imagens dele a jogar de cabeça ligada, a querer ir lá para dentro… O Fejsa, quantas vezes jogou lesionado comigo… Em Guimarães jogou com o dedo do pé partido», revelou Bruno Lage.

«Olho para o rendimento e para a prestação de cada um, mas também para a gestão enquanto treinador e homem e ser humano. Tomarei as melhores decisões para o Benfica nestas cinco finais. Não podia abandonar estes dois homens, nem o vou fazer. Não contem comigo para isso», vincou.