Jogadores PT

Benfica vai a tribunal por direitos de formação

A Wistfulness, empresa de Ramiro Sobral, advogado e antigo empresário, reclama €1,8 milhões à Benfica, SAD por dívidas de pagamento de direitos de formação e mecanismos de solidariedade da FIFA em transferências de jogadores que passaram pelo Benfica desde 2009. Os valores reclamados já incluem IVA.

Foi nesse ano que a SAD e Ramiro Sobral fizeram um contrato de prestação de serviços. A empresa do agora diretor-geral do Académico de Viseu ficou responsável por cobrar os valores dos direitos de formação e mecanismo de solidariedade. Entende-se por direitos de formação uma compensação financeira aos clubes que tenham assinado contratos com os jogadores entre os 12 e os 23 anos.

A Wistfulness calcula que deu aos cofres do Benfica perto de 17 milhões de euros desde 2009. Por exemplo, através destes mecanismos, o Benfica recebeu valores acrescidos nas transferências de Di María. Quando o argentino trocou Real Madrid por Manchester United, a SAD recebeu € 1,2 milhões. Mais tarde, quando Di María foi do United para o PSG, as águias lucraram mais um milhão de euros. O mesmo sucedeu com as transferências de David Luiz para Chelsea, dali para o PSG, e depois o regresso ao Chelsea. Este carrossel deu às águias dois milhões de euros adicionais. Um dos jogadores inesperados que rendeu dinheiro à SAD através destes mecanismos foi o romeno Vlad Chiriches. O lateral, atualmente no Sassuolo, passou pela formação do Benfica, e as transferências internacionais do Steaua para o Tottenham e dali para o Nápoles renderam verbas à SAD.

O processo entrou no Juízo Central Cível de Lisboa. A Wistfulness argumenta que tinha direito a dez por cento de cada direito de formação cobrado e que a SAD deixou de pagar. Os valores continuaram a ser faturados até chegarem aos €1,8 milhões reclamados.