Jogadores PT

É umas das pérolas encarnadas!

É umas das pérolas encarnadas e um nome há muito ligado a gigantes europeus. Está blindado até 2024, com cláusula de rescisão de 60 milhões e, para já, diz-se focado em vingar na Luz. Úmaro Embaló aponta ao topo.

– Úmaro Embaló nunca jogou na Liga, nem sequer na equipa principal, mas já todos os adeptos conhecem por ter aparecido muito cedo. Sente o peso dessa responsabilidade?

– Não sinto pressão. Neste momento há muita expectativa em relação a vários jogadores da formação do Benfica e isso é bom sinal. Quer dizer que muita gente reconhece a nossa qualidade e está atenta ao nosso trabalho. Sentimos muito apoio de toda a gente e só temos de dar o máximo todos os dias para corresponder.

– Chegou a Portugal em 2014/15. Deixou a Guiné com o sonho de ser profissional de futebol. Após estes anos mudou muito?

– Sim. Sinto que evoluí muito enquanto jogador e ser humano. Vim cedo para o Benfica e isso ajudou-me a ganhar maturidade. Sinto que consegui chegar a patamares muito bons e espero chegar ainda mais longe.

Como surgiu esse salto para o Benfica em 2015? Foi um choque grande?

– Sem dúvida. Foi um grande salto. Foi um orgulho ter oportunidade de representar um grande clube como o Benfica e quando cheguei senti esse impacto. Primeiro fiz treinos de captação e não fiquei logo, fui para o Oeiras até ao final da época. Depois, o Benfica voltou a contactar-me e também tive a opção de ir para o Sporting, porque o Oeiras tinha ligação ao Sporting e alguns jogadores iam para lá, mas preferi o projeto de formação do Benfica, pelas condições e pela qualidade do trabalho.

– Jogar com a camisola do Benfica na Luz. É um sonho?

– Sim, é óbvio que já sonhei muitas vezes e continuo a sonhar. É o sonho de todos os jovens que trabalham no Benfica Campus e a grande motivação que temos todos os dias.

– Acredita que se não fosse esta pandemia poderia estar mais perto agora da equipa principal?

– Não é por aí. O clube conhece o meu trabalho e potencial, os treinadores da equipa A e da formação falam entre si. Ainda sou muito jovem, preciso ter paciência e continuar focado no trabalho diário, treinos e jogos, para, se a oportunidade chegar, estar preparado. Não tenho pressa.