Jogadores PT

O jogador que superou o trauma de ver o pai assassinar a mãe

Não é uma história nova, mas muito provavelmente desconhecida de muitos. Um jogador conhecido e com um trauma de infância: Assistiu ao seu pai a assassinar a sua mãe!

É jogador polaco, e actua na Bundesliga: Jakub Blaszczykowski, mais conhecido por Kuba, joga no Borussia Dortmund, e desde os seus 11 anos que vive com este trauma na sua mente.

Kuba vai lançar um livro no próximo mês, e conta este episódio.

«Já enfrentei muitos problemas na minha vida, e tudo me tornou mais forte. Quando aparece um novo problema, enfrento-o porque sei que já vi o pior».

 

Aos 8 anos, Kuba começou a treinar no Raków de Czestochowa, com o seu irmão Dawid, e eram bastante felizes com uma bola nos pés. Porém, a felicidade de ambos os jogadores termina em setembro de 1996 quando ambos assistem a um cenário de terror com o pai Sigmund, a ser protagonista do episódio, esfaqueando várias vezes a sua esposa e mãe dos meninos, Anna, até provocar a sua morte.

A vida daquela família ficou destruída, Kuba perde ambos os pais… A mãe assassinada, e o pai detido e condenado a 15 anos de prisão.

Como seria de esperar, Kuba quis desistir do futebol, e chegou mesmo a virar as costas aos relvados durante alguns meses. Perante insistências da avó, que ficou a cuidar dos irmãos, Kuba regressou aos relvados e teve ajuda no seu crescimento enquanto jogador, por parte do seu tio Jerzy Brzeczek, que foi internacional polaco.

 

Kuba voltou a sorrir a jogar futebol, e foi evoluindo nas camadas jovens do Raków Czestochowa.

Cinco anos após o episódio, quando tinha 16, Kuba rumou ao Gornik Zabrze que jogava no 1º Liga do seu país, mas a experiência não correu bem, tendo mesmo regressado à sua cidade de Czestochowa, mas desta vez para jogar no Klub Sportowy, da quarta divisão. Destacou-se no clube com 11 golos em 24 jogos, e chegou à seleção nacional sub-19.
O seu tio Jerzy Brzeczek, voltou a ter um papel importante quando o jogador atingiu os 18 anos, e lhe garantiu um período de experiência no Wilsa Krakow, durante a pausa de inverno de 2004. E foi ai que Kuba começou a dar nas vistas e a impressionar. Após mais de 50 jogos pelo Wisla, o extremo mostrou a todos os seu talento e estreou-se pela seleção nacional da Polónia.

 

Chegou à Bundesliga em 2007, para assinar contrato com o Borussia Dortmund, clube que represente até aos dias de hoje.

Kuba Błaszczykowski passou desta forma a sua triste infância marcada pelo episódio do pai, que foi liberto em 2012 após cumprir a pena.

O jogador nunca mais falou com o pai, que faleceu poucos meses após ter saído da prisão, ainda antes do Euro2012, e ambos os filhos marcaram presença no funeral de Sigmund.

Foi este o último adeus a um homem que marcou as suas vidas para sempre.