Jogadores PT

Os 5 clubes com maior despesa no mercado de transferências de verão 2020

É habitual os clubes mais poderosos estarem dispostos a pagar um preço elevado pelo reforço do elenco da equipa.

Os principais conjuntos das ligas mundiais de futebol profissional, pelas quais você pode apostar na Betway, estão relutantes em gastar números astronômicos por jogadores de elite devido à baixa de receitas sofrida pela indústria no início do ano. A pandemia forçou a paralisação temporária de torneios esportivos de relevância continental e mundial, o futebol não foi a exceção.

As consequências económicas foram nefastas na maior parte dos clubes, obrigando-os a conter as compras de jogadores, deixando para trás as transferências com contratações superiores aos 100 milhões de euros que puderam ser evidenciadas nas quatro temporadas anteriores.

Os clubes começam a adaptar-se ao novo cenário desportivo, alguns gastam mais do que outros num mercado que, apesar de tudo, continua a ser liderado pelas equipas da Liga Premier inglesa, uma das que recebe mais receitas no mundo.

Felizmente, a indústria vive outra realidade no mercado de transferências de jogadores da Europa graças à reactivação dos jogos e torneios, acessíveis na seção de apostas esportivas da Betway, a melhor plataforma do mercado. Prepare-se para conhecer nas próximas linhas os 5 clubes com maior despesa até agora no mercado de transferências de verão 2020 segundo a analista digital Transfermarkt.

5. Tottenham Hotspur (98,4 milhões de euros)

Os movimentos de mercado do Tottenham Hotspur somam 98,4 milhões de euros, sua transação mais cara foi o pagamento de 32M€ pelos serviços do jogador argentino Giovani Lo Celso. Lo Celso, de 24 anos,  jogava como meio-campista na equipe espanhola Real Betis.

 

  • Sergio Reguilón, lateral esquerdo de 23 anos, 30M€, procedente do Real Madrid.
    • Matt Doherty, lateral direito de 28 anos, 16,80M€, proveniente do Wolverhampton.
    • Pierre-Emile Höjbjerg, pivô de 25 anos, 16,60M€, procedente do Southampton.
    • Carlos Vinícius, dianteiro centro de 25 anos, 3M€, procedente do Benfica.

 

  1. Juventus de Turim (100,2 milhões de euros)


As operações no mercado de transferências de Verão custaram à Juventus de Turim 100,2 milhões de euros, apesar das elevadas perdas que quase atingiram os 90 milhões de euros no ano financeiro.

A cifra mais alta paga pela instituição ˈVecchia Signoraˈ, nesta última campanha de transferencia, foi pelo meio-centro brasileiro Arthur, de 24 anos, vendido pelo FC Barcelona.


Arthur foi transferido para a Juventus por um valor de 72 milhões de euros, como uma decisão desportiva do Barcelona e para solucionar dificuldades econômicas apresentadas no seio do clube catalão. As restantes operações são repartidas do seguinte modo:

 

  • Rolando Mandragora, pivô de 23 anos, 10,70 M€, procedente do FC Barcelona.
    • Álvaro Morata, atacante centro de 27 anos, 10 M€, procedente do Atlético de Madrid.
    • Weston Mckennie, meio-centro de 22 anos, 4,50 M€, proveniente do FC Schalke 04.
    • Stefano Gori, arqueiro de 24 anos, 3 M€, proveniente do AC Pisa.

 

3. FC Barcelona (124 milhões de euros)


O clube espanhol destinou 124 milhões de euros para a compra de cinco jogadores que permitirão a renovação da equipa. A transferência mais cara até agora é dada pelo centro-campista Miralem Pjanic da Juventus. O futebolista bósnio foi cotado no mercado estival em 60 milhões de euros. O preço dos quatro jogadores restantes foi repartido da seguinte forma:

 

  • Trincão, extremo direito de 20 anos, 31M€, procedente do Bournemouth.
    • Sergiño Dest, lateral direito de 19 anos, 21M€, procedente do Ajax.
    • Matheus Fernandes, pivô de 22 anos, 7M€, procedente do Palmeiras.
    • Pedri, mediocentro ofensivo de 17 anos, 5M€, procedente do UD Las Palmas.

2. Manchester City (156,80 milhões de euros)


O Manchester City da Premier League gastou 156,80 milhões de euros para o ingresso de seis novos jogadores na equipe. O portal alemão Tranfermarkt garante que ˈThe Citizensˈ pagaram a maior cifra pelo jogador português Rúben Dias, de 23 anos, que ocupa a posição de defesa central. O Benfica recebeu 68 milhões de euros para deixar ir o defensor luso.

A tabela de ingressos dos jogadores por transferência para a temporada 2020-21 é representada por:

Nathan Aké, defesa central de 25 anos, 45,30M€, procedente do Bournemouth.
• Ferran Torres, extremo direito de 20 anos, 23M€, procedente do Valencia CF.
• Pablo Moreno, atacante centro de 18 anos, 10M€, procedente do Juventus U19.
• Yan Couto, lateral direito de 18 anos, 6M€, procedente do Coritiba FC.
• Issa Kaboré, lateral direito de 19 anos, 4,50 M€, proveniente do Malines.

 

 

1. Chelsea FC (247,20 milhões de euros)

 

 

De acordo com os dados fornecidos pelo site especializado Transfermarkt, o clube que mais gastou no mercado de transferências de verão deste ano também pertence à Premier League da Inglaterra, o Chelsea FC.


ˈOs azuisˈ detonam o mercado em plena pandemia gastando 247,20 milhões de euros, uma das aquisições mais caras do verão foi o meio-centro ofensivo de 21 anos, Kai Havertz.

 

O jogador alemão foi avaliado em 80 milhões de euros, vem do Bay Leverkusen com a visão de obter centros para o Chelsea. O resto das transferências para repotenciar o conjunto ficou até o momento distribuído da seguinte forma:

  • Timo Werner, atacante centro de 24 anos, 53M€, procedente do RB Leipzig.
    • Ben Chillwell, lateral esquerdo de 23 anos, 50,20M€, procedente do Leicestercity.
    • Hakim Ziyech, extremo direito de 27 anos, 40M€, procedente do Ajax.
    • Edouard Mendy, goleiro de 28 anos, 24M€, procedente do Rennes.