Jogadores PT

Um grande Adeus na Formula 1??

Parece uma partida de 1 de abril (dia das mentiras) mas, na verdade, a Ferrari não descarta a hipótese de abandonar a Fórmula 1 se o orçamento for reduzido. Quem o diz é Mattia Binotto, atual chefe da marca italiana, a única que esteve sempre presente, desde 1950.
A redução drástica no orçamento anual das equipas, que face à pandemia de Covid-19 viram várias corridas e treinos suspensos e a possibilidade da competição ser reatada, mas sem público, levou a que a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) se reunisse com os chefes das equipas para deliberar os orçamentos previstos para as próximas épocas.

No ano passado as equipas concordaram que o limite orçamental em 2021 seria de 175 milhões de dólares. No entanto, na semana passada, dirigentes da F1 e da FIA acordaram reduzir o valor do próximo ano para 145 milhões, sendo que em 2022 esse valor cairia para 130 milhões.

«A nova demanda para baixar o teto orçamental para 135 milhões de euros é muito exigente em comparação com o estabelecido em junho passado, 160 milhões de euros. É algo que não pode ser alcançado sem sacrifícios significativos, principalmente de recursos humanos. Querem reduzir ainda mais, talvez isso nos coloque em posição de procurar outras opções para mostrar o nosso ADN de competição», referiu Mattia Binotto, em entrevista ao The Guardian.