Futebol Nacional e Internacional – Notícias, Vida e Transferências

“Nunca vi o Messi fazer um golo que o Cristiano Ronaldo faz…”

“Nunca vi o Messi fazer um golo que o Cristiano Ronaldo faz…”

Deco admite que vai ser mais difícil quando Cristiano Ronaldo sair, mas acredita numa Seleção forte.

Deco acredita que a Seleção Nacional está preparada para um dia ter de jogar sem Cristiano Ronaldo. Entrevistado por Ricardo Rocha – antigo internacional brasileiro campeão Mundial em 1994 e com passagens pelo Sporting e Real Madrid -, o antigo médio destacou o trabalho que tem sido desenvolvido em Portugal. “Esta Seleção portuguesa tem muito mais soluções e de qualidade do que no passado. Tem muitos jogadores para cada posição. Antes havia dificuldade para encontrar dois bons laterais-direitos, hoje tem três; no meio-campo a história é a mesma”, destacou o luso-brasileiro.

Deco falou ainda do Euro”2016 e perspetivou o futuro. “Portugal ganhou o Europeu de 2016 através do coletivo, mas com um Cristiano soberbo, assustador, e com um trabalho fantástico do Fernando Santos. Ele soube explorar o melhor dessa geração. Portugal tem melhorado as gerações, mas, para nossa tristeza, com o seu principal jogador, o Cristiano, a entrar na fase descendente. Vai ser difícil no dia em que ele não estiver na Seleção. Vai ser difícil Portugal ser tão competitivo, mas vai continuar a ser uma seleção forte”, perspetivou o ex-internacional português.

O CR7 continuou a ser o tema, agora para traçar as inevitáveis comparações com Messi. Ricardo Rocha quis saber quem é o melhor do mundo. “É difícil para mim dizer quem é o melhor, porque sou amigo dos dois e são dois génios. O que há de comum neles é continuarem neste nível, com tanto sucesso, e continuarem com esta fome de vencer. Eles têm fome com a barriga cheia”, elogiou o agora empresário, admitindo, no entanto, que o melhor jogador com quem jogou foi Ronaldinho Gaúcho.

Além da amizade que o une aos dois antigos companheiros, Deco considera difíceis as comparações. “Nunca vi o Messi fazer um golo que o Cristiano faz, com força. Vejo o Messi com qualidade. Por outro lado, vê-se coisas assustadoras do Cristiano e uma pessoa pergunta como é que ele e capaz de fazer isso. Ele vence o adversário pelo cansaço. Chega a uma hora do jogo com todo o mundo morto e ele continua. Com o passar dos anos, foi marcando cada vez mais golos, porque antes desgastava-se muito. Era capaz de driblar o lateral três vezes seguidas, foi inteligente e percebeu o que o jogo precisava. Admiro-o muito, porque nem todos têm essa capacidade e essa humildade”, reforçou o antigo futebolista.