Jogadores PT

“Deem um jeito, prefiro que a temporada termine”

Luiz Phellype deu entrevista ao Gazeta Esportiva e na sua opinião, mesmo que não agrade a todos, tem de ser dar por concluída de alguma forma a presente temporada para salvaguardar a próxima.

As instâncias internacionais e nacionais ainda não decidiram o que fazer com as provas que estavam em curso e que foram suspensas por tempo indeterminado, mas o sportinguista Luiz Phellype já deu a sua opinião, em entrevista ao Gazeta Esportiva. Em recuperação longa de lesão grave, prefere acabar já 2019/20 para que não se prejudique o calendário da próxima temporada.

Pub

“Sinceramente, prefiro que a temporada termine, que deem um jeito da melhor maneira possível, até para não termos complicações na próxima temporada. Debate vai existir, uns serão contra e outros, a favor, mas acho que é o melhor a fazer. O plano deles parece que é mesmo encerrar o campeonato”, afirmou à publicação brasileira.

“Aqui o clima ainda é de tensão. Tudo começou antes, ficou tudo pior antes. No começo, não deram tanto valor, o que acredito que tenha acontecido no mundo todo, não valorizaram tanto. Só que as coisas foram ficando sérias e houve um choque de realidade. As pessoas já não saem mais, só vão às ruas para ir ao mercado e voltam. E têm que entrar com senha, três de cada vez. Não sei até quando isso vai durar. Está muito difícil. Pelo que acompanhei, vi que no Brasil, assim como aqui em Portugal, as pessoas demoraram a se tocar para o que realmente estava acontecendo, para a gravidade da coisa. Também não deram muito valor, com praias e bares lotados. As pessoas têm que se cuidar, senão a tendência é piorar, não tem jeito. No Brasil costuma ter muito mais aglomeração de pessoas do que na Europa. O cenário melhorou porque todos passaram a se conscientizar. O que estamos vivendo é muito serio, não é brincadeira”, disse o avançado brasileiro, o único leão autorizado a trabalhar na Academia, pois necessita cuidados e fisioterapia após intervenção cirúrgica difícil.